Manu Lafer

Músico e Compositor

Clara Maria

Clara Maria, composição que seu autor e intérprete, Manu Lafer, permanece regravando e recriando como se fosse parte da realidade e não uma obra de arte, é inspirada em canções inacabadas, como Querida, de Tom Jobim, e testamentais, como Sargaço Mar, de Dorival Caymmi. Trata-se de uma mulher adjetivo, não de duas mulheres objeto, como uma audição descuidada concluiria.

Esta mulher é “clara” e “maria”. O paralelismo bíblico, aqui com cenário católico, permite juntar características que por outra lógica seriam separadas, contrários ou contraditórios.

O arranjo refinado do produtor e programador Alê Siqueira para o ritmo brasileiro ijexá (ritualmente conhecido como afoxé), numa inusual contagem até 5, e “inusual” particularmente poque só ocorre desse jeito nessa composição, com esse violão “inventado” (por Manu Lafer e executado por Swami Jr), espelha o que a escritora Yael Ziegler depreende do livro bíblico de Lamentações (Eichá). O piano de Marcelo Galter, os atabaques de Gabi Guedes permitem este refinamento.

Músicas consagradas como Take Five (de Paul Desmond gravada no conjunto de Dave Brubeck) e Chovendo Na Roseira (de Tom Jobim) , apontam que há mais de um modo de contar até cinco. Trata-se, nesta Clara Maria, de uma prosódia que alterna contagem até 3 com contagem até 2, conferindo a sensação de incompletude, no universo de uma paixão.

Essa paixão da canção, é inspirada na tradição brasileira de Nelson Rodrigues, com a diferença de que aqui a situação não é nem negativa nem patológica. Permanece porém, a descoberta do entendimento do amor e da relação homem e mulher, que é ao mesmo tempo física e espiritual. A letra, erudita e poética, é construída sobre os impulsos selvagens e espirituais das personagens.

Faixas
1. Clara Maria (Manu Lafer)

Maria da mãe de Clara
Clara do pai de Maria
O nome de ser amada
O nome de batizada
Do umbigo ambígua
Comunhão e crisma
Do espelho expelida
É a rival de si mesma (bis)

Seus pais, na escola de samba
E ela na escola marista
Seus pais, no mar carioca
Na boda craca e fuligem
Orla que aventa um apê
Aterro tornado tietê
Ne-me-quites, que eu te desquite
Tua dupla te refuta
Tua dutra te bifurca

És Maria, paulista do Limão,
Ex Clara, da gema da Urca
(bis)

Maria, Maria Clara
Clara, Clara Maria
(bis)

Zarolho de tuas ancas
Clárias, stradivária
Ária em que mar ia arriba
Libido ilibada, banho maria
Clara, que meto-lhe os pés
Borrega de buridan

Maria pra mariagem, Clara eu declararia (bis)
Albardada chicotearia
Clara vara, chucra romaria

Clara na escada, de pé
Maria da vida, de ré
Mal.a, cel.
Clara em escada faz pré
Maria em corrimão faz bé
Mal.a, cel.

Fronha que morena cubra
Loura clara na penumbra
Te rodeio e te tateio
Sem modelo, no teu meio

Indeciso entre as tuas mamas (bis)
A que aclareara, a que marearia (bis)

Metade Clara sem cara
Maria de fancaria
Cara metade sem Clara
Maria sem maioria
Maria, Maria Clara
Clara, Clara Maria
(bis)

Onde encontrar

Tratore Amazon Deezer YouTube Music ITunes Spotify