Manu Lafer

Músico e Compositor

Ta Shemá

Ta Shemá

Segundo álbum da trilogia iniciada com Grandeza, Ta Shemá partiu do formato inicial de voz e violão das 13 faixas escolhidas, dentre algumas dezenas de inéditas, para serem oferecidas à livre leitura de alguns dos nossos mais talentosos arranjadores, com seus estilos distintos e marcantes: Lincoln Olivetti, Jacques Morelembaum, Dori Caymmi, Luiz Brasil e André Mehmari. Algo parecido com o que Marcos Valle fizera em 1969 em Mustang Cor de Sangue.
A faixa de abertura, que dá nome ao disco, é uma expressão judaica, do aramaico “vem ouvir”, e atraiu a atenção dos performers John Pizzarelli e Jessica Molaskey, que veicularam faixas do cd em seu programa Radio DeLuxe. Poesia e Prosa é mais uma parceria com Danilo Caymmi, dessa vez também com Antonio Candido de Mello e Souza, e cita, no violão e na letra, o estado de Minas Gerais, assim como a faixa Mineira, de notável concisão lírica. Uma espécie de “mapeamento” da diversidade brasileira, que remete ao trabalho da gravadora Marcus Pereira. O disco despertou o interesse do duo formado pelo guitarrista Howard Alden e pela cantora de jazz Jeanne Gies, que gravaram o álbum Window – The music of Manu Lafer, com versões das letras em inglês.

Faixas
1. Ta shemá - (Manu Lafer)
A alma, o salmo, a flama, a chama, a neshamá
Ta shemá, ta shemá
A água, a vaga, a frota, a fraga da torá
Eu quero vir inês chamar
Os céus dos céus, raquéus
O leite, o véu, a luz, o lar
Ta shemá, ta shemá
O mês, a vez, o nes, inês
Irmã do mesmo, siamês

E neste ente inestimar
Vém escutar, após, a mais
O tempo, o topo, o tampo,
A via, as vidas, alegrias
Onde havia algaravia
O giro, o suspiro, a tocha,
A pira vir a deflagrar
Soar midrash e sussurrar mishná
Que era e haverá antes
Das vogais errantes

2. Conchas Abertas - (Manu Lafer com Alexandre Barbosa de Souza)
Lembra de sonhar com sol
Lembra de acordar tão só
Funda glória da matéria vã
Sonho em madreperóla de cor
1ª vez:
No mar do tempo a lua é teu olhar
Os quatro quartos do teu coração
2ª vez:
No mar de sangue faz o sol chorar
Conchas abertas da memória mãe
3. Mineira - (Manu Lafer)
Você é pra mim
A primeira
Primeira, que eu digo
É mineira
É quem chega
Em primeira

Tão forte
É a onda de ouro
Das minas gerais,
Água e sais,
Bem me queira,
Teu gênio me queira,
Mineira

4. Poesia e Prosa - (Manu Lafer com Danilo Caymmi e Antonio Candido de Mello e Souza)
Santa bárbara do garimpo das canoas
Nossa senhora das dores do aterrado
Santa rita de cássia, santa rita de cássia
Vila formosa do senhor bom jesus dos
Passos

Nossa senhora das dores da ponte alta
São francisco das chagas do monte
Santo
Santa cruz das areias
Divino espírito santo da forquilha

O pano sobe desvendando claraval,
Ibiraci,
Cássia, passos, babilônia, monte santo

O pano sobe desvendando claraval,
Ibiraci,
Cássia, passos, fortaleza, delfinópolis

5. Da Janela - (Manu Lafer)
Da janela
Luz pequena
Veste o olho dentro e fora
Lacra a carta sem saída
Firma a vista distraída

Da janela
Rosto, perna, pena, pane
Luz engorda
Roda, escreve, tudo ou nada
Treme a vista concentrada

A verdade existe
No amor em volta de si
A verdade assiste
Ela vê na mira do sim

6. Versão Fiel - (Manu Lafer com Luiz Tatit)
Sempre que vou falar de você
O que eu não sei eu invento
Quando eu começo é uma fala normal
Mas de repente aumento

Já tentei conter o impulso
Já tentei não me inflamar
Mas se o tom sai muito brando
Me descontrolo, vou aumentando

Já tentei conter o verbo
E dizer só o que sei
Mas pra alguém que é tão barroco
O suficiente é muito pouco

Tudo em você pra mim é a glória
Tudo o que fez já é história
Suas palavras soam tão bem
Movem montanhas e forças do além
São como luzes vindas do céu
Eis a versão fiel

7. Quem Traduz - (Manu Lafer com Guile Wisnik)
Tua voz me faz ouvir a tua luz
Tua vez de ver o céu de muito perto
Não chegou já que a vida te conduz
Muito além do eterno tempo

Traz no peito
A tua marca que acusa
A partida que ganhara tempo certo
É você quem traz a vida, quem traduz
Pra melhor meu entendimento

Mas em vez de ver o céu e os seus azuis
Ficarás brilhante, puro sentimento
Pois já não és senhora, não és tu
Mas as horas do pensamento

8. Grande ABC - (Manu Lafer)
Você foi a minha gema
Você foi meu dia d
Você foi a diadema
Você foi meu abc (2x)

Seguimos a labralata
Que ladra pra são bernardo
Que é, que mauá, que empaca
Que oras pra santo andré?
Nos teus lábios teus cabelos
Que eu beijo no cinema
Saímos com os índios
E os pássaros de moema

9. Céu - (Manu Lafer)
Céu
Que se aumenta e se imita
Céu que límpido brinca
Quando a dor
Adormecer
Céu
Pincel do céu
Se alastra
Céu que ao infinito
Arrasta
Céu
Além
10. Catraca - (Manu Lafer)
Tá pronta pra aprontar?
Catraca eu saltei pra te atracar
Troca teu pé pra cá
E baila pra jubilar (2x)

Diz pro gorilão
Diz quem vai pagar
Sabe quem será?
É essa que tá aqui atrás

Interpretei pra entrar
Um mambo de cuba popular
Vim pendurado em pé
Pois é pra te encalacrar (2x)

11. Elevador - (Manu Lafer)
Fora pra fora, dona do amor
Elevador, você chamava
Ele não vinha, não tinha asa
Eu: quem quer casa, você sabia?

Você sabia, você subia
Não arredava do apartamento
Quando apertava, você se via
Seria um dia quem eu queria

A rua peca, já vira beco
Por um momento, tão sedutriz
Em pouco tempo, você previa,
Que eu sofreria, você feria

Eu confirmava,
Eu te impedia, eu me privava,
Você pra mim sapateava,
E tercinava, e se virava
Se abria falsa e se cabia atriz

Destrambelhava seus carretéis
Fingia alto desprezar meu sim
Medindo força, agarrando em mim
Cedendo a vez, suspendendo os pés

12. Cristo Nasceu na Bahia - (Sebastião Cirino e Duque (Antonio Lopes de Amorim Diniz)
Dizem que cristo nasceu em belém
A história se enganou

Cristo nasceu na bahia meu bem
E o baiano o criou

Na bahia tem vatapá
Na bahia tem caruru

Moqueca e arroz de haussá
Manga, laranja e caju

13. Vamos a La Cama - (Antonio Areta, Máximo Baratas, Santiago Moro e Modesto Rebollo)
Vamos a la cama
Hay que descansar
Para que mañana
Podamos madrugar
Onde encontrar

Tratore Amazon Deezer Play-Store ITunes Spotify

Scroll Up