Manu Lafer

Músico e Compositor

Sambadobrado

Capa_Sambadobrado

Em Sambadobrado – Manu Lafer Convida Graça Braga, a cantora interpreta quase todas as canções. São sambas autorais do cantor e violonista, de diversos estilos.

A intérprete, de voz feminina e madura, desenvolveu carreira solo após uma bem sucedida e popular participação na Comunidade Samba Da Vela, a qual por sua vez teve como madrinha a diva do samba, a saudosa carioca Beth Carvalho, que estimulou a carreira de seus integrantes, gravando extensamente com o conjunto Quinteto em Em Branco E Preto e, registrando uma plêiade de obras dos compositores Maurílio, Magno, Paquera e Chapinha.

A produção é de Swami Junior, que fez os arranjos de base e de sopros, além de gravar violão e baixo. Há participações dos parceiros de longa data de Manu, do símbolo do samba de São Paulo o chamado Catedrático Germano Mathias, do baiano Mateus Aleluia, ex-Tincoãs, e do cantor de samba Chico Médico, além da lenda da percussão Osvaldinho da Cuíca, e dos convidados internacionais, o guitarrista Jack Wilkins e o pianista Ehud Asherie.

A banda de apoio é estrelada por Luizinho 7 cordas, com Henrique Araujo (cavaquinho, bandolim), Douglas Alonso (bateria e percussão), Marcelo Barro (percussão) e convidados, como Fabio Tagliaferri (viola de arco), Ubaldo Versolato (saxofone tenor e clarinete), Allan Abbadia (trombone), Toninho Ferragutti (acordeon), Alexandre Fontanetti (guitarra), entre outros. O coro luxuosíssimo é formado pela especialista no gênero Kelly Silva e por duas das maiores cantoras de sua geração, que também desenvolvem trabalhos autorais, Verônica Ferriani e Bruna Caram.

No repertório, de diversos tipos de samba, como citado, o ritmo, de identidade nacional por excelência, aqui representado também na sua visão paulista, estão parcerias como Milagre Brasil (a partir de trecho de poema de Mário de Andrade), Tântrica (ou Just Wondering, versões em português e inglês de For Baden, originalmente um tema instrumental de Jack Wilkins para o samba carioca de subúrbio e o virtuosismo do violonista Baden Powell), e a também parceria Brilho Interno (com Guilherme Wisnik). Entre as autorais, sem parceiros, estão a faixa título Sambadobrado (um samba de gafieira), Eu Vou Festejar (um “sambão” à Beth Carvalho, interpretando Jorge Aragão), regravações de Cidade Inacabada (um tratado de harmonia inspirado em Amor À Natureza, de Paulinho Da Viola), Amigo De Garfo (um samba sincopado para o homenageado Germano Mathias), Nascimento (um samba canção), A Marias (aqui tal como foi composta, um forró, gênero escolhido a partir do desejo da cantora Graça, homenageada na personagem da letra) e Você Já Sabe? (um samba choro, apresentado anteriormente com o violão de Dori Caymmi, inspirada justamente em Dorival Caymmi), além do afoxé Preto Velho. Completam o repertório Quem Já Viu (um samba de roda) e A Lara (um sambão buarqueano).

O compositor revela seu grande amor e dedicação pelo e ao samba, presentes desde a infância e por toda a sua carreira. Aqui realizados na companhia de quem melhor poderia executá-los, músicos de alta estirpe.

Faixas
1. Sambadobrado (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga

Eu te aclamava no ar
E não me avistavas a estar

Com meu coração pela boca,
Biboca barroca a te balbuciar
(bis)

A dor que te assolou
Não reassolorará
Você vai reclamar
Sem de verdade reclamar

O que de mim dirás
Acontecerá
Que de mim será?

Serás a manteiga meiga
E o furacão do teu calão
(bis)

Segredos em segredo viveremos
Porque dos teus nem preciso saber
Serei tua emoção (bis)

Nas tuas mãos cheias de dedo
Quando eu tocar teus joelhos
Teu sambadobrado dobraremos (bis)

Serei esse músico que eu levo dentro
Serás essa música que eu levo dentro
(bis)

2. Preto Velho (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga, Mateus Aleluia

Da cadeira da balanço preto velho encarou
Tava toda a vizinhança, preto se esparramou
Preto velho diz que sonhou
Com a cara do avô
Tinha em torno da vida o contorno do rio
Preto velho criança, no retorno do rio

No tapete azul da água preto preto velho encostou
Na esteira da lembrança, preto velho chorou
Preto velho não foi avô
Preto nem sequer se casou
Enrolava o pescoço no colar do vazio
Mergulhava o ouvido no retorno do rio

Quando o sol nasceu de manso preto velho voltou
Viu aquela gente nisso, preto comemorou
Preto velho diz que o avô
Vinha de um lugar além
Tinha em torno da face a redoma do céu
Viverá todo velho no retorno do rio

3. Nascimento (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga, Ehud Asherie

Como o amor dos nossos pais
Que nasceu para viver
E nasceu para morrer
Nosso amor
Também vai viver
Também vai viver
Também vai viver
Vai nos dar a ilusão de escolher
Porque nosso amor
Nasceu pra nascer
Vai nos dar a lição de nos ter
Porque nosso amor
Nasceu pra você
Nossos ais, nossos pais do querer
Nosso amor, o nosso sofrer
Sofrer sem sofrer
Morrer sem morrer
Até conseguir, até sem querer
(Até seu eu morrer)
Até no amor
Viver por você

4. A Lara (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga, Chico Médico

A lara laralará, a lara laralará
A lara laralará, lará
(bis)

A Lara agora quer que eu queira
A Lara agora tá solteira
Alarma, vai passar fronteira

A Lara, agora, sorrateira,
Certeira, vai me dar leseira,
Só quer me ver, se ver filheira

Que me confesse ou que eu perceba
Que Lara vai subir ladeira,
Que Lara formará fileira

Hilária, agora é corriqueira,
Que trauma pra se ter, festeira,
Pra mim, só fim da fila e senha

E me discrimina
Porque hoje eu tenho companheira
Ridicularizado
Porque um lar, impera

A Lara ouviu:
“Tomara” (eu formulara)
“Eu vou tramar…
…Pra retornar à dianteira do amor”
Já nos tomamos com amor,
Da tara para um fim de infância
A gente não é mais criança

A lara laralará, a lara laralará
A lara laralará, lará
(bis)

5. Milagre Brasil (Manu Lafer)
Trecho do Poema Noturno De Belo Horizonte, de Mário de Andrade
Participação: Graça Braga, Osvaldinho da Cuíca

Ninguém mais conhece,
Talvez o trem, talvez ninguém, quedê
Os planetas comparecem em pessoa
Os galhos lavam matinalmente os cabelos
Na água barrenta, indiferente, 
Novidadeirando qualtal

As estrelas acordadas enchem de ahs! ecoantes o ar
Maravilha de milhares de brilhos vidrilhos
Na altura tudo era paz, diamantes cascateantes
A Espanha estilhaçou-se numa poeira de nações americanas
Brasil, nome de vegetal! (bis)

Nós somos na terra o grande milagre do amor! (bis)

Sobre o tronco sonoro da língua do ão, aõ, aõ
Portugal reuniu, reuniu
Vinte e duas orquídeas desiguais, desiguais
E embora tão diversa a nossa vida
Dançamos juntos, juntos
No carnaval das gentes, gentes

Bloco pachola do “custa mas vai!”
Bloco do “custa mas vai!”
(bis)

Nós somos na terra o grande milagre do amor! (bis)

6. Cidade Inacabada (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga, Osvaldinho da Cuíca

 Sofrer
É da tua envergadura
Loucura,
É você quem me procura

Me deixa
Gostar de você
Me deixa
Atrever ter você
Apesar da miséria
Da inacabada cidade que não se fará
Minha diva há de vir dadivosa dançar
Minha musa
De mim amorosa,
Rapsódia sem moda
Alcançou teu cantar

Expulsei
O teu desprezo à minha rosa,
Te ver já não é suplício de amor
Aturei
Os teus costumes de teimosa,
Te ver já me dá a força, que eu sei,
Você goza por crer
Que eu devoto em vão
Um abraço na multidão
(Solidão se mistura)

Agrura,
És cativa e és clausura
Costura
A razão que em mim te jura
Quando o piso encher
Quando o asfalto arder

Deixa ter
Tua promessa apaixonada
Sorri para me dar sentença de amor
Deixa ter
O teu ciúme que te evoca
Te despe do som
Que à noite, na luz se aloca
E desloca a visão
Sorve teu sal, salga-te a mão
Te amarra à minha ilusão

Destoa,
Carne à carne,
Morna e crua,
Garoa,
Desmorona a criatura

Me deixa morar em você
Me deixa ver a nação
Danação!
Emoção sobrevoa a favela
É a rosa, é a rocha!
(É a rosa, é a rocha!)

Teu barranco
É pro céu que te arrasta
Ao rasgar teu arranha-chão
Dá cidade dá salvação

7. Brilho Interno (Manu Lafer, Guilherme Wisnik)
Participação: Graça Braga

Talvez eu, talvez eu não,
Com certeza alguém seria
Todo João precisa de Maria
E toda maria é você
Só estou
Nas ondas de um mar
O mesmo que chega aí perto
Que traça um destino eterno
Ele vai pro seu brilho interno

Na pedra choca a onda
E o mar atento
Vê carícia nesse momento
Carícia de uma saudade de um navegante
Na beleza ou na saudade
Na certeza ou na vontade
Que ele tem por mais que cante

8. As Marias (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga

 A Graça comigo foi séria
Um na série mais um que passa
Pra Graça eu já fui superado
Nem por mais que eu me esmeraria
Não foi desgraça, a Graça acha
Esquece a Maria (bis)

Aonde ninguém chegou
Maria tá lá no alto
Então vou namorar

A Rosa pra mim foi sombria
Ela não me namoraria
A Rosa me pôs catacumba
Vou dançar de um só pé na rumba
Nem tudo é rosa, Maria entrosa,
Você se estrupia (bis)

Aonde ninguém chegou
Maria tá lá no alto
Então vou namorar

Pensei que a Graça era Rosa
Quando eu vi, fui ficando rosa
Pensei que a Rosa era Graça
Acabou que eu fiquei sem graça
Que graciosa, que está rosácea
Maria das Graças que Rosa amaria

Aonde ninguém chegou
Maria tá lá no alto
Então vou namorar

9. Quem Já Viu (Manu Lafer)

Participação: Graça Braga

Quem já viu, já viveu, já chegou de lá
Quem pariu já chamou, já foi pedra e dá
O fruto da maturidade
Triunfo, desfrute que é doce
Tarefa de ser nulidade
Que, se começou, acabou-se
Nos dias de quem se carrega
Eu fico querendo pensar
A cada vez que o sim renega
A vontade de desintegrar
De um destino, outro tempo,
A saída que desengano

Quem já viu, já viveu, começou ali
Quem pariu, já passou, não chorou e ri
O frete da felicidade
Parece que atrasa precoce
Se o flerte é uma inutilidade
Ele se envelheceu, se remoce
Nos dias tudo se encarrega
Eu fico e penseio em achar
Milagre que cega e enxerga
A vontade de desesperar
De um destino, outro tempo,
A saída que desenganou

10. Você Já Sabe (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga

 Te toco pra romancear
Te dou flores para vadiar
Quando a gente disfarça
Que não toma parte de nos desejar
Quando a gente se escapa e se zapa
Fingindo de um outro país
Eu sei que você me atende
No teu coração adentro
Na saudade que eu sinto
Saudade do que haverá
Saudade de te querer
Saudade, só saudade
Você já sabe de quê

É tudo o que ela fala
É o jeito dela falar
É a entrega que ela me entrega
É o jeito dela mercar
Mexeu comigo, mais que o destino
Mais que a segunda
Quando eu era menino
Mais que a que me fez mais triste
Ela é mais linda que a natureza
Que o mar, que o desaguar
Que a luz do teto do teto solar

Nos teus pés um carinho
Também no cabelo e mais um no caminho
(bis)

11. Tântrica / Just Wondering (For Baden)
Participação: Graça Braga, Jack Wilkins

Se de repente a gente vai
Se de repente a gente cai

Se você faz pirlimpimpim
De se entregar pra mim
Eu só sei te amar
Só sei te amar de arlequim

1ª vez:
Colombina algoz
Abata e combata os aros, nós

2ª vez:
Nossa guerra,
Nossa guerra é tântrica
Tântrica, tântrica, tântrica

At once you’re back, you’re in your track (bis)
You will beset me,
Come to harm within your charm a blow
Fall on, kiss me, tack
You twist, attack
You mind your trap
1st:
Then I was alone
We had such a time, I was alone

2nd:
Shall we fight another fight?
(Just wondering…
…Wondering) (3x)

12. Eu vou festejar (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga

Titio, não bati, te arrebento
Papai, tu no asfalto, eu no vento
Tu baba, eu dou funk e visão
Poledanço e balanço 
E tu perde a noção
(bis)

Você vem com teu ciúme avassalador
Se eu sou teu sonho e você me achou 
Sou teu doce, a tua igual, até o Carnaval
Mas não vou ficar de mal 
Com quem me dá valor
Você vai chegar, vai se aconchegar (bis)

Eu, meu bem, sou outra 
Paradinha louca 
Eu vou festejar, eu vou festejar
(bis)

13. Amigo de garfo (Manu Lafer)
Participação: Graça Braga, Germano Mathias, Osvaldinho da Cuica

Se a sua morada nāo fosse do Bruno
Se a danada da Yvone nāo soubesse cozinhar
Se a Mati nāo soubesse latir
E se você nāo soubesse cantar
Você acha que eu vinha te visitar? (bis)

Traz o garfo e o prato
Traz os sambas do Caco
Faz um filé de bule pra nos acompanhar

E agora esse queixo
Rebola que eu deixo você rebolar
(bis)

Onde encontrar

Tratore Amazon Deezer GooglePlayMusic ITunes Spotify

Scroll Up