Manu Lafer

Músico e Compositor

O Patriota

O Patriota

O Patriota expande a parceria com Danilo Caymmi, a mais constante dentre as muitas que Manu Lafer tem cultivado ao longo de sua carreira. A música que dá nome ao disco é uma homenagem ao humor e à imaginação de Tom Jobim, com quem Danilo trabalhou por 10 anos. Nas 13 faixas do CD, Manu e Danilo se revezam como intérpretes. Candido, num clima de Clube da Esquina que Danilo trouxe de sua participação no segundo álbum histórico deste; a engenhosa Moira ou Lorena, com o tradicional tema da disputa entre louras e morenas nas marchinhas brasileiras; e Você e Meu Violão, com um registro antológico do instrumento por Swami Junior, são alguns do destaques. Um registro histórico: Pedir pra Voltar, a primeira parceria dos irmãos Danilo e Dori até então, interpretada com a irmã Nana – que exigiu a troca do título original, Hino. A produção é de Fabio Tagliaferri e Swami Jr.

Release por Moacyr Godoy Moreira

“O Patriota”, faixa-título do CD, traz referências a Tom Jobim, Dorival Caymmi e uma singela homenagem ao filho de Tom, João Francisco. O CD reúne letras de Manu Lafer e a música de Danilo Caymmi, com participações especiais de Nana Caymmi, Dori Caymmi e Na Ozzetti.
O Patriota é um cd de canções brasileiras. “Brasileiras por amor à música brasileira e sem nacionalismo”, pela definição de Manu Lafer. Todas as canções são assinadas por Danilo Caymmi, em parceria com Manu Lafer, cuja formação de médico pediatra agrega no currículo o título de compositor, com dois CDs lançados em circuito independente – “Baião da Flor”, lançado em 1998 e ” Doze fotogramas”, de 2001.
Danilo Caymmi resgata a leveza da composição, estimulado pela cadência poética de Mau Lafer. Este CD faz remeter ao LP independente de Danilo “Cheiro Verde”, lançado nos anos 70 e recentemente reeditado na Europa. “É um disco autoral. Pude ser mais ousado, sem pensar em mercado. Tive muita liberdade para compor juntamente com Manu no eixo Rio-São Paulo-Pequeri (MG). Gravamos o CD em São Paulo e conheci grandes músicos paulistas. Este trabalho é mais reflexivo e não é para ser ouvido uma vez só. Espero que essas músicas também se transformem em sucessos.” O município mineiro de Pequeri é a casa onde mora Dorival Caymmi, e que foi um ótimo cenário para a criação do trabalho.
A faixa título O Patriota é um samba que fala do amor de um conquistador, romântico e desajeitado, que vem raptar a amada. Há uma lembrança de histórias bem-humoradas de Tom Jobim, que contava a Danilo sobre seu desejo de morar numa casa com um pé direito que fosse alto o suficiente para que ele pudesse “entrar na sala a cavalo e desembainhar sua espada, dando vivas à República…”. Insônia é uma cena de amor no Rio de Janeiro, uma singela homenagem a João Francisco Jobim (filho de Tom, morto em acidente de carro aos 18 anos no Rio, em 1997).
No CD há algo inédito dentro da família Caymmi. “Pedir Pra Voltar” é a primeira parceria autoral de Danilo e Dori, que faz o violão e vocal, na letra de Manu Lafer. Para interpretar, Danilo convidou a irmã Nana. A canção já nasce como se fosse um clássico.
“Zepelim” é baseada no relato de Dorival Caymmi quando jovem, vendo um “mistério” voador, indo para a praia de Ipitanga, em Salvador. O encarte traz uma foto do Zepelim tirada pelo bibliófilo José Mindlin, avô de Manu, no tempo em que era repórter do jornal O Estado de São Paulo.
É o terceiro CD de composição de Manu Lafer. O encontro dos compositores se deu quando Danilo Caymmi zapeando, assistiu Manu lançando seu primeiro CD Baião da Flor no programa “Sem Censura”, da TV Educativa do Rio, e adorou o encadeamento poético de suas canções. A partir de lá, Danilo fez uma única parceria em “Doze Fotogramas”, faixa-título do segundo CD de Manu, e também nos planos, agora concluídos, de fazer o terceiro CD completamente em parceria.

Faixas
1. O Patriota - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Eu sou patriota a ponto de menosprezar
Outras criações que a natureza fez
Outros por satélite só querem te vender
As praias fotografadas com mulher

Selvas das janelas vão poder testemunhar
Eu de espada em punho me comunicar
Quando eu cavalgar pelos degraus ao patamar
E vivas para a república entoar

Não samba, não chora (2x)
Não faço amor aqui
Já despede e não demora
A ladeira lá fora é dura de descer
Não samba, não chora (2x)
Passa o maestro sorrindo
Presta atenção no jardim
Corre pro fim do salão que eu não quero ficar aqui
Corre pro fim do salão que eu não quero ficar

Solta em meu aperto teu olhar vai bifurcar
Alto lá num teto que arquiteto fez
Quando eu cavalgar, passar dos lustres pro varal
E vivas para a república entoar

Não samba, não samba (2x)
Passa o maestro sorrindo
Presta atenção no jardim
Corre pro fim do salão que eu não quero ficar aqui (2x)
Corre pro fim do salão que eu não quero ficar

2. Ou Mal Me Quer - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Ou bem me quer, ou mal me quer
Esqueça que eu existo
E devolva o meu coração
Ou bem me quer, ou mal me quer
Esqueça que eu desisto (2x)

Eu quero as noites de volta
O que me traz? Que me importa?
Meus segredos.
O tempo que perdi,
A noite que parti, meu silêncio
Eu quero ser decidido,
Eu quero ver um sentido
Em teus gestos
Respondo em movimento
A cada movimento,
Ou palavra

Ou bem me quer, ou mal me quer
Esqueça que eu existo
E devolva o meu coração
Ou bem me quer, ou mal me quer
Esqueça que eu desisto (2x)

Quando você me quiser
Vai ter ciúme de mim,
Muita água
Como se fosse por mim
Que o nosso amor se perdeu
“minha” mágoa?

Te espero mas você
Não-me-vê, não-me-vê
Um pássaro selvagem (2x)

3. Cândido - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Eu sou calmo feito um furacão
E frio pra festejar meu coração
Como o fogo de artifício esquento
E quem me tenta tenta amparar

Sou atiçado e postiço
E só sei gritar
(sei gritar)
Como o oceano pacífico
E os pólos do mar

Sou antiquado e castiço
E só sei amar
(sei amar)
Como as bermudas,
Medusas, golfinhas, corais

4. Pedir para Voltar - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Mostra
Ouço de ti, só
A minha história contada
Cada, cada minuto
Eu vou pedir pra voltar

Gosta?
Faça um poema
Que tenha a beleza da arte
Falte, com a verdade
E sem me deixar terminar

Tenho sido tão intenso
E tão sofrido
Coisa estranha
O meu sorriso
Recupera teu amor
Hoje em dia eu sou contido
Sou fiel, arrependido
E só penso “o que passou…

…passa”
Passa pro fim, já
Para que a graça arrebate
Dar-te, dar-te o destino
Esse é meu hino
E não mais
(esse é meu hino e não mais)

5. Zepelim - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Brilhou
No horizonte uma luz
Nasceu, de repente,
No céu.
Estrela, precoce,
Surgindo à minha frente,
A luz do sol reletia,
Eu vi de longe,
Bem longe.

E eu continuo
Esperando.
E lento, voava, discreto,
Na praia deserta,
No rumo de ipitanga.
Eu tive medo,
Por um instante,
E euforia,
E eu sozinho.

Voava o mistério, seguro.
Na praia deserta,
Entre as ondas,
Distante no céu,
E se aproximava,
Chegando lento,
E eu sozinho.
Eu vi de longe,
O zepelim.

6. É Melhor - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Noite e dia,
Numa espera,
Prometia
Que você conseguiria
Se trazer pra mim
Era o beijo,
A tua véspera
Que eu tinha,
Conhecendo
O que você me ensandecia
Sorria,
Pra transformar
O que eu sentia,
Sem delirar,

Simplesmente
Para ser melhor,
Cada vez
Que eu te amar (2x)

7. Moira ou Lorena - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Um dia é dia da loira
No outro, a outra, a morena
Um dia eu saio com a moira
No outro, eu vou com a lorena
Saudade, moira, medonha
Lorena abalou meu sistema
Lorena agora me toma
A moira é que entra no esquema

Dizem que a moira é obscena
Não sabe se é loira,
Não sabe se é loura
Sei é que não vale a pena
Sal grosso e salmoura
Vão direto pra lorena

Dizem lorena me toura
Meu olho asilou
As antenas que eu tenha
Sei é que a moira me agoura
Porque ela não sabe
O que eu não faço com a lorena
O que eu faço com a lorena?
O que eu não faço com a lorena

Um dia amor é da loira
No outro, calor à morena
Uma se doura de moura
E a outra se oxigena
Saudade moira, enfadonha
Lorena foi jogo de cena
Moira se acha e me sonha
Lorena é que é pouco e pequena

Moira era a dona da forra
Da forca e da arena
Panema e pachorra
Agora é a pomba serena
Domingo perdôa
E a lorena me condena

Essa, que aos homens embroma
Nos fins de semana
Era a tal da redoma
A dema não mais concatena
É patroa e se doa
Para a moira é um problema
Para amor é um problema
Para a moira é um problema

8. Você e Meu Violão - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Quantas viagens,
Quantas semanas
Pra passar
Eu quero férias,
Estratosferas
Pra namorar

Quanta varanda,
Quanta paisagem
Pra guardar
O que eu te espero,
Quando eu me entrego
Cantando,
Quando tem sombra
E a corda solta
Do violão

9. Aparências - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Aparência não mentiu
E te enganou
Teoria não serviu
E te deixou
E você, nervoso, vem
Vem se distrair
De posar pra mim, de conduzir
Esse seu descrer de sorrir,
De brigar na vida e proibir
Nem tente, nem vem discutir
Nem tente, nem vem discutir
Salvar, manter, não sei porquê
Nem tente, nem vem discutir
Certo?
10. Isto - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Nem bom, nem perfeito,
Porque já tinha sido inteiro,
Afinal já fui criança,
Não ao outro, eu vendi
Minha alma a d’us.

Nem mal, nem defeito
Mas ainda verdadeiro,
Não sou fausto, nem mefisto
Não sou vão, nem malsão,
Nem você malquisto

Não sou eu quem te explica.
Eu sei onde você fica,
Quando o mundo desaba,
Quando a dor me apressa,
Quando a guerra começa
Quando o amor acaba.

Estudei minha calma,
Não criei, me dei palavra
Conquistei a minha raiva,
Me curei, me mudei,
Mas não fiz silêncio

Os porquês,os conceitos,
Ignora e não é sério,
Quem conhece só mistério.
Não sou eu, nem sou isto,
Nem só existo

Não sou eu quem te explica.
Eu sei onde você fica,
Quando o mundo desaba,
Quando a dor me apressa,
Quando a guerra começa
Quando o amor acaba

11. Insônia - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Levanto da cama
A guanabara
A derramar
Aurora na sala
De jantar
Eu busco
Com raiva de mim
Socorro
E rápido
Que faço?
Insônia
Que provei
Com você…

…no meio
Da cama
Desarrumada,
A luz na mão
Me ama?
Só isso?
Vai saber…
Injusto…
…que durma
E paro, é claro
É claro o rio
Do corcovado
Ao lado teu

12. Mangarataia - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Me passa a mangarataia, me empossa a mangarataia
Me espreme a mangarataia, me esgueira a mangarataia
Me emborca a mangarataia que é para cantarolar
Raiz marrom de calibre, por outra alcunha gengibre
Me vibre a mangarataia, entorta a mangarataia
Escolta a mangarataia que é para não controlar

Sushi de arroz compactado, montado vai fatiado
Atum, salmão, califórnia,se enfurna em manga e papaya
Me esparze a mangarataia que é para cantarolar
Pra voz, pra náusea e desgraça, me tasca mangarataia
Que se mordisca e se masca, em pó, em cápsula, em pasta
Descasca a mangarataia que é para não controlar

Mangarataia? Não tá? Mangarataia, terá?
Quero não ter pra pagar para ver quem terá. Terá?

Vem me dar mangarataia e não maracujá
Quem bolina o que se burle bule a burilar

Falar com todos os esses, botar os pingos nos jotas
Que estar babando na barba já está se vendo na cara,
Detona a mangarataia que é para cantarolar
Não tergiversa e prepara, me extersa a mangarataia
Me arruma mangarataia, sacuda laia e catraia,
Libera a mangarataia que é para não controlar

Puxada abaixo da terra de índia, índio, inglaterra
Solfeja é maracangalha, rouqueja é maracutaia
Despeja a mangarataia que é para o angu borbulhar
Pirarucu da casaca, papar pacu do escabeche
Exporta a mangarataia, que berra o mundo e se mexe
Asperge a mangarataia que é para não controlar

Mangarataia? Não tá? Mangarataia, terá?
Quero não ter pra pagar para ver quem terá. Terá?
Vem me dar mangarataia e não maracujá
Quem bolina o que se burle bule a burilar

13. Tangorel - (Manu Lafer com Danilo Caymmi)
Esparforino glásteo de ferfúleo parmo
Castalcinando márgoras no pascorel
Esparforino glásteo de caucil angarmo
Angucilando párfiros no tangorel

Mismático parol de quem artando sofre
Aljúfar desfarado, ou carmácico dano,
No palmaceu da dor ervivando de andofre
Relitardos alguazes d’algo muito prano

Onde encontrar

Tratore Amazon Deezer Play-Store ITunes Spotify

Scroll Up