Manu Lafer

Músico e Compositor

Gimme 5

Gimme 5

Gravado e lançado em Nova Iorque, mas caracterizadamente brasileiro pela escola de João Gilberto, Gimme 5 é o 20º trabalho de Manu Lafer em 20 anos de atividade. A referência ao cumprimento informal dos americanos, com o encontro das mãos espalmadas, representa bem a naturalidade das melodias e a originalidade das harmonias. O título foi pinçado de Come – versão em inglês de Sem Letra, do CD Grandeza –, cantada anteriormente por Maude Maggart em The Word. Produzido por Sandro Albert, parceiro de Manu no projeto Run N’ Fly, e lançado pelo selo independente nova-iorquino Megaforce Records, o álbum tem ainda uma outra regravação de uma versão em inglês e uma parceria com Toninho Horta baseada na linguagem da ficção americana sobre a 1ª Guerra Mundial, WWI, que usa nomes de pessoas comuns como adjetivos ou apelidos de nacionalidades, trazendo para pessoas comuns o cenário irracional e violento.
Apesar desses acenos à música norte-americana, Gimme 5 é um trabalho caracterizadamente autoral e brasileiro. O repertório, quase todo cantado em português, tem canções inéditas. como as candidatas a clássico A Jura, Clara Maria, Amor Primeiro e Um Par, e as contagiantes Minha Senhora e Faz Anos.
O jazz aparece executado por expoentes dos instrumentos: produção, guitarras e violões de Sandro Albert, bateria de Lionel Cordew (Spyro Gira) e Cliff Almond (Michel Camilo), baixo de Mark Egan (Weather Report), percussão de Bashiri Johnson (Michael Jackson) e Mino Cinélu e vocais de Darryl Tookes e Sachal Vassandani.
Cindy Mizelle (Steely Dan) também faz participação especial. O projeto foi gravado pelo engenheiro John Kilgore em Nova Iorque e as vozes por Alexandre Fontanetti em São Paulo.

Faixas
1. Era Pra Ser (Manu Lafer)

Em volta, onde, embora, mesmo antes
Pra deleite, pra diante
Eu já vivia de você
Sem prazo, sem o fundo
E sem o raso
Gana, luz, jus e juízo,
Por acaso era pra ser

Um sonho adolescente,
Instante largo,
Vário, vago itinerário,
Era o horário, era pra ser
A vida é folia e poesia
Você é e se fazia
Me fazendo pra você


2. A jura (Manu Lafer)
Por todo o sempre te quero
E por todo o sempre você me quer
O meu amor que te ama, minha mulher
Em mim outro amor você ama
No homem que faz tua vida ter fé

Foi e será outra surpresa
A que provoquei em você sem saber
Ao viver o mistério de te conhecer
Quando eu muito mais que te amar,
Não posso te amar sem você

Pois é dizendo e ouvindo dizer
Eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo
Que cada um diz igual no dizer
E vive o amor onde o amor não houver


3. Passos (Manu Lafer)
Toda dor é terra do chão do nunca
Toda dor é seca da vida dentro
Minha dor é nome
Do meu passo de entrada
Quando passa a nossa estrada
Ninguém pode mais voltar

Toda dor é sombra de folha morta
Toda dor é tonta de tanta volta
Minha dor é Nome
Quando eu vejo uma jaqueira
Quando a chuva é goteira
Ninguém pode mais voltar

Saudade, saudade, saudade


4. Clara Maria (Manu Lafer) (versão revisada da gravação em CD Meu Herói)

Maria da mãe de Clara
Clara do pai de Maria
O nome de ser amada
O nome de batizada
Do umbigo ambígua
Comunhão e crisma
Do espelho espelida
É a rival de si mesma (bis)

Seus pais na escola de samba
E ela na escola de freira
Seus pais no mar carioca
Na boda, craca e fuligem
Orla que aventa um apê,
Aterro tornado Tietê
“Ne me quites”, “que eu te desquite”
Tua dupla te refuta
Tua Dutra te bifurca

És Maria paulista do Limão,
És Clara da gema da Urca
(bis)

Metade Clara sem cara,
Maria de fancaria
Cara metade sem Clara,
Maria sem maioria

Zarolho de dama em dama
A que me pareara
A que aclararia
Libido ilibada
Banho Maria
Clara que beijo-lhe os pés
Burra de Buridan

Maria pra mariagem
Clara eu declararia
(bis)

Clavalgara ou chicotemaria (bis)

Clara da estrada, de pé
Maria da vida, de ré
Mal, a, cel.
Clara em escada faz pré
Maria em corrimão faz bé
Mal, a, cel.

Fronha que morena cubra
Loura clara na penumbra
Te rodeio e te tateio
Sem modelo no teu meio
Indeciso entre as tuas mamas (bis)

A que aclareara, a que marearia (bis)

És Maria paulista do Limão,
És Clara da gema da Urca
(bis)

Maria, Maria Clara
Clara, Clara Maria
(bis)


5. Amos primeiro (Manu Lafer)
O nosso amor quer te despir
Se por à prova inteiro
Te desmontar, vermelha
Pra ter amor primeiro

O nosso amor, primeira, véns,
Sem toga de toureiro
Teu indumento abraça
Querendo amor sereio

O nosso amor quer te entregar
Meu ego, ébrio e leigo
Que ao teu solar, soprana,
Ao solo imploro e tenho

O nosso amor, segunda, véns,
Por nossos fins e meio,
Sem circo de espetáculo
Se entrelaçar sem medo


6. Faz anos (Manu Lafer)

Guio carros e esbarros em floriculturas
Tua espera me aplaina
Tiro em carta mensagens de paisagens tuas
Te aplaudo já faz anos

Tento, minto
Bem-vinda à volta
Às montanhas e rios
Bem-vinda à volta
Às bobagens que rio

Subo morros, incorro em alamedas uchas
Espera que eu te apanho
Curte as praias morenas destas luas tuas
Nas painas e nos anos

Venha, tenha
Eu te diverte, eu promete entreter
Tu és tietes, Tietês, paetês


7. Ou sou eu? (Manu Lafer)
Será que você sabe
Ou sou eu é que não sei
Por que acontece
Que eu não posso mais viver sem você?

Um ano já passou, um mês a mais
Como no ano em que você nasceu
Será que eu nasci também
Antes de você me aparecer?

Será que eu sabia viver
Antes de ouvir a tua voz
Antes de eu saber quem somos nós
Que a minha casa já morava
Tão vizinha ao coração
Todos os dias com o meu amor
Pra você?


8. Minha Senhora (Manu Lafer)
Participação: Toninho Horta

Minha senhora, adora e se demora
Minha querida, desabrida abriga
Um dó re fá de um solo em lar
Um dó menor de dominar

Minha senhora, rindo muito afora
Minha querida, umbigando migra
Crina que prima em se ninar
Numa parede a levitar

Se a moda pega, cobra é cabra cega
Na cara branda, boi da cara panda
Pula que a Cuca vem pegar
Singra no teto a bi reinar


9. Pra você viajar (Manu Lafer)
Pra você viajar
É um mar que te dá
Que te dá o que falar
Mas é bom pra concentrar

Onde a onda acabar
Vai servir pra pingar
Tons de verde pra pintar
A criança que voltar

Pra você viajar
É um mar que te dá
Que te dá o que falar
Mas é bom pra concentrar

Namorar com o olhar
Onde a areia tombar
Prontidão pra retornar
Pra marina, praia e mar


10. Wwi (Toninho Horta, Manu Lafer)
Participações: Toninho Horta, Cindy Mizelle

Did the Sammys claim for joe
When the jerrys and their Tommies broke?
Did they share their brew with Blokes?
Oh they were gleg!
Oh how they’ve spread!
They never fled!
They never bloat!

They’re shy, they’re johns,
They pine, they’re kine
They lit their Mary Jane
And hit the road with no flame


11. Come (Manu Lafer)
Come to give me five
Come to end good-bye
Come, don’t you versify
And you will be mine


12. Did i need to repeat? (Manu Lafer)

What I said to my dad
Did I need to repeat?
With our heads on his bed
We would part on my feet

What I said to my dad we knew
We could just foresee
Nevermind sad or glad
The past would be bound to me

To my pops and my steps
As I held to his grip


13. Um par (Manu Lafer)
Eu só quero amparo
Eu só quero um par
Um participante
Para emancipar

Eu só quero amparo
Eu só quero um par
Que parabenize
Para se estampar

Par paraíso
Par de pairar

Eu só quero amparo
Eu só quero um par
Particularmente
Pra compartilhar

Eu só quero amparo
Eu só quero um par
Pra que eu sendo um outro
Pare ao pôr a par

Par paraíso
Par de pairar

Parei
Parentei um par
(bis)


Onde encontrar

Tratore Amazon Deezer ITunes Spotify

Scroll Up